O período do Carnaval é crítico quando se trata de doação de sangue, pois a demanda aumenta e a oferta cai, devido ao número de doadores frequentes que viajam. Por isso, as unidades do Hemocentro do Espírito Santo (Hemoes) farão um esquema especial de atendimento para aumentar a captação.
No próximo sábado (03), a unidade regional do Hemoes em São Mateus fará coleta externa em Nova Venécia, com atendimento na Unidade de Saúde Angelo Piassarolli, das 7h às 13h.
No mesmo dia, a unidade regional do Hemoes em Linhares estará aberta para receber doadores das 7h às 12h30, com possibilidade de agendamento pelo telefone (3264-6019).
Já o Hemoes de Vitória vai levar a unidade móvel de coleta de sangue para Domingos Martins nos dias 7 e 8 de fevereiro, com atendimento na praça, das 8h30 às 13h.

ONDE DOAR

– Hemocentro do Estado do Espírito Santo (Hemoes)
Telefone: 3636-7900/7920/7921
Endereço: Avenida Marechal Campos, 1.468, Maruípe, Vitória
Funcionamento: de segunda-feira a sábado, das 7h às 19h, com cadastro até as 18h

– Unidade de Coleta da Serra
Telefone: 3218-9429/ 3218-9242
Endereço: Avenida Eudes Scherrer Souza, s/nº (anexo ao Hospital Estadual Dório Silva)
Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h

– Hemocentro de Linhares
Telefone: (27) 3264-6000/ 3264-6019
Endereço: Avenida João Felipe Calmon, 1.305, Centro (ao lado do Hospital Rio Doce)
Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h, com cadastro até as 12h30. Abrirá no sábado (03), das 7h às 12h30

– Hemocentro Regional de Colatina
Telefone: (27) 3717-2800
Endereço: Rua Cassiano Castelo, s/nº, Centro
Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h, com cadastro até as 12h30

– Hemocentro Regional de São Mateus
Telefone: (27) 3767-7954
Endereço: Rodovia Othovarino Duarte Santos, Km 02, Parque Washington
Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h, com cadastro até as 12h

Artigo anteriorColuna 31 de janeiro
Próximo artigoCapixaba faz sucesso com churrasco na Califórnia
Maurício Prates nasceu em Cachoeiro de Itapemirim e a comunicação em sua vida começou muito cedo. Aos 11 anos, em 1954, produziu o seu primeiro jornal. Um jornalzinho que falava da escola, dos estabelecimentos de ensino professor Alfredo Herkenhoff. Foi até a papelaria Vieira e pesquisou com Geraldino Poubel o preço da publicação e em seguida percorreu o comércio para vender anúncios e cobrir a despesa do seu primeiro jornal. Não ganhou nada. Só mesmo experiência. No mês seguinte a história mudou e além de publicar o segundo número do jornal, ainda sobrou dinheiro para comprar um sapato novo, ir ao cinema e tomar, de uma só vez, três sorvetes na " Polar", a mais tradicional sorveteria da cidade. E não parou mais. E de lá para cá, deu no que deu! Maurício é bacharel em direito, mas nunca exerceu advocacia. É jornalista e radialista com registros no ministério do trabalho. Tudo guardado em sua carteira de trabalho. Uma única carteira, assinada somente por empresas do grupo João Santos. Sua magistral universidade de vida. O primeiro contrato de trabalho foi na fábrica de cimento, como auxiliar administrativo; depois foi para o Jornal Arauto - que circula desde de 1976 sob sua direção -. em 1978 foi contratado pela Nassau Editora Radio e TV e montou A Tribuna fm Cachoeiro. Em 1982 veio para Vitória dirigir a rede A Tribuna onde ficou até 1998, quando fez um acordo com A Tribuna, fechou o seu contrato de trabalho e lançou a sua coluna diária em A Tribuna, no dia 08 de outubro de 1998. "O grupo João Santos é, e sempre será uma extensão na minha vida, não somente profissional, mas principalmente pela formação de minha vida", diz Maurício Prates para quem quer ouvir.

Deixe uma resposta