COMPARTILHAR

O período do Carnaval é crítico quando se trata de doação de sangue, pois a demanda aumenta e a oferta cai, devido ao número de doadores frequentes que viajam. Por isso, as unidades do Hemocentro do Espírito Santo (Hemoes) farão um esquema especial de atendimento para aumentar a captação.
No próximo sábado (03), a unidade regional do Hemoes em São Mateus fará coleta externa em Nova Venécia, com atendimento na Unidade de Saúde Angelo Piassarolli, das 7h às 13h.
No mesmo dia, a unidade regional do Hemoes em Linhares estará aberta para receber doadores das 7h às 12h30, com possibilidade de agendamento pelo telefone (3264-6019).
Já o Hemoes de Vitória vai levar a unidade móvel de coleta de sangue para Domingos Martins nos dias 7 e 8 de fevereiro, com atendimento na praça, das 8h30 às 13h.

ONDE DOAR

– Hemocentro do Estado do Espírito Santo (Hemoes)
Telefone: 3636-7900/7920/7921
Endereço: Avenida Marechal Campos, 1.468, Maruípe, Vitória
Funcionamento: de segunda-feira a sábado, das 7h às 19h, com cadastro até as 18h

– Unidade de Coleta da Serra
Telefone: 3218-9429/ 3218-9242
Endereço: Avenida Eudes Scherrer Souza, s/nº (anexo ao Hospital Estadual Dório Silva)
Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h

– Hemocentro de Linhares
Telefone: (27) 3264-6000/ 3264-6019
Endereço: Avenida João Felipe Calmon, 1.305, Centro (ao lado do Hospital Rio Doce)
Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h, com cadastro até as 12h30. Abrirá no sábado (03), das 7h às 12h30

– Hemocentro Regional de Colatina
Telefone: (27) 3717-2800
Endereço: Rua Cassiano Castelo, s/nº, Centro
Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h, com cadastro até as 12h30

– Hemocentro Regional de São Mateus
Telefone: (27) 3767-7954
Endereço: Rodovia Othovarino Duarte Santos, Km 02, Parque Washington
Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h, com cadastro até as 12h

COMPARTILHAR
Artigo anteriorColuna 31 de janeiro
Próximo artigoCapixaba faz sucesso com churrasco na Califórnia
Foto de perfil de Maurício Prates
Maurício Prates nasceu em Cachoeiro de Itapemirim e a comunicação em sua vida começou muito cedo. Aos 11 anos, em 1954, produziu o seu primeiro jornal. Um jornalzinho que falava da escola, dos estabelecimentos de ensino professor Alfredo Herkenhoff. Foi até a papelaria Vieira e pesquisou com Geraldino Poubel o preço da publicação e em seguida percorreu o comércio para vender anúncios e cobrir a despesa do seu primeiro jornal. Não ganhou nada. Só mesmo experiência. No mês seguinte a história mudou e além de publicar o segundo número do jornal, ainda sobrou dinheiro para comprar um sapato novo, ir ao cinema e tomar, de uma só vez, três sorvetes na " Polar", a mais tradicional sorveteria da cidade. E não parou mais. E de lá para cá, deu no que deu! Maurício é bacharel em direito, mas nunca exerceu advocacia. É jornalista e radialista com registros no ministério do trabalho. Tudo guardado em sua carteira de trabalho. Uma única carteira, assinada somente por empresas do grupo João Santos. Sua magistral universidade de vida. O primeiro contrato de trabalho foi na fábrica de cimento, como auxiliar administrativo; depois foi para o Jornal Arauto - que circula desde de 1976 sob sua direção -. em 1978 foi contratado pela Nassau Editora Radio e TV e montou A Tribuna fm Cachoeiro. Em 1982 veio para Vitória dirigir a rede A Tribuna onde ficou até 1998, quando fez um acordo com A Tribuna, fechou o seu contrato de trabalho e lançou a sua coluna diária em A Tribuna, no dia 08 de outubro de 1998. "O grupo João Santos é, e sempre será uma extensão na minha vida, não somente profissional, mas principalmente pela formação de minha vida", diz Maurício Prates para quem quer ouvir.

Deixe uma resposta