COMPARTILHAR

O governo do Estado irá investir mais de R$ 160 milhões em 2018, com a assinatura de 12 decretos pelo governador Paulo Hartung. Desse total, R$ 103 milhões serão de recursos do Estado e o restante de operações de crédito e transferência federal.

Entre as áreas contempladas, estão Segurança Pública (R$ 40 milhões, sendo R$ 25 milhões apenas para a Polícia Militar), Saúde (R$ 50 milhões) e Educação (R$ 50 milhões).

– Secretaria de Estado de Esportes e Lazer (Sesport) – R$ 1,04 milhão
Projetos esportivos relativos a Ocupação Social

– Fundo de Cultura do Estado do Espírito Santo (Funcultura) – R$ 2,34 milhões
Seleção de projetos de cultura e arte nos bairros do Ocupação Social

– Secretaria de Estado de Direitos Humanos – R$ 1,69 milhão
Cursos de qualificação profissional

– Fundo Estadual de Habitação de Interesse Social – R$ 1,61 milhão
Obras para o Residencial Barra do Riacho, em Aracruz

– Fundo Estadual de Habitação de Interesse Social – R$ 4,73 milhões
Residencial Vista Linda da Serra (R$ 2,3 milhões); Levantamento topógrafo (R$ 2,4 milhões)

– Prodest – R$ 3,45 milhões
Metro GVIX

– Polícia Civil – R$ 16 milhões
Reforma e ampliação das unidades de Polícia Civil, viaturas (aproximadamente 120 viaturas pequenas), armamento (250 armas)

– Polícia Militar – R$ 25 milhões
Reforma e ampliação das unidades da PMES, coletes balísticos, armamentos, viaturas e outros equipamentos e materiais permanentes

– FUNPAES – R$ 50 milhões
Ações de cooperação entre Estado e municípios para a implementação das políticas públicas de educação

– Iases – R$ 2,15 milhões
Celebração de termo de colaboração com OSCs de medida socioeducativa em três unidades a serem implantadas em Linhares

– Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) – R$ 49,93 milhões
Hospital Geral de Cariacica, serviços especializados no Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória e Hospital Evangélico de Vila Velha

– Secretaria da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) – R$ 2,83 milhões
Qualificação profissional no Vasco Coutinho e Talmo Luis Silva

COMPARTILHAR
Artigo anteriorColuna 27 de fevereiro
Próximo artigoDevoção fashion de Dolce & Gabbana teve renascentismo e drones
Foto de perfil de Maurício Prates
Maurício Prates nasceu em Cachoeiro de Itapemirim e a comunicação em sua vida começou muito cedo. Aos 11 anos, em 1954, produziu o seu primeiro jornal. Um jornalzinho que falava da escola, dos estabelecimentos de ensino professor Alfredo Herkenhoff. Foi até a papelaria Vieira e pesquisou com Geraldino Poubel o preço da publicação e em seguida percorreu o comércio para vender anúncios e cobrir a despesa do seu primeiro jornal. Não ganhou nada. Só mesmo experiência. No mês seguinte a história mudou e além de publicar o segundo número do jornal, ainda sobrou dinheiro para comprar um sapato novo, ir ao cinema e tomar, de uma só vez, três sorvetes na " Polar", a mais tradicional sorveteria da cidade. E não parou mais. E de lá para cá, deu no que deu! Maurício é bacharel em direito, mas nunca exerceu advocacia. É jornalista e radialista com registros no ministério do trabalho. Tudo guardado em sua carteira de trabalho. Uma única carteira, assinada somente por empresas do grupo João Santos. Sua magistral universidade de vida. O primeiro contrato de trabalho foi na fábrica de cimento, como auxiliar administrativo; depois foi para o Jornal Arauto - que circula desde de 1976 sob sua direção -. em 1978 foi contratado pela Nassau Editora Radio e TV e montou A Tribuna fm Cachoeiro. Em 1982 veio para Vitória dirigir a rede A Tribuna onde ficou até 1998, quando fez um acordo com A Tribuna, fechou o seu contrato de trabalho e lançou a sua coluna diária em A Tribuna, no dia 08 de outubro de 1998. "O grupo João Santos é, e sempre será uma extensão na minha vida, não somente profissional, mas principalmente pela formação de minha vida", diz Maurício Prates para quem quer ouvir.

Deixe uma resposta