COMPARTILHAR

A unidade móvel do Hemocentro do Espírito Santo (Hemoes) circula por pontos movimentados da Grande Vitória e interior do Estado na busca por doadores de sangue.  E o apelo maior é pelo fator RH negativo.

“Esses tipos de sangue são mais raros, pois podem ser transfundidos também em pessoas de RH positivo. No entanto, é importante receber os demais fatores sanguíneos para manter o estoque”, explicou a diretora do Hemoes, Rachel Lacourt.

 

Confira a programação de coletas externas (distribuição de senhas das 8h30 às 13 horas, exceto em Guaçuí, onde a distribuição de senhas será das 7h às 12h):

 

MARÇO

 

13/03 – Faculdade Multivix (rua 13 de Maio, 40, Campo Grande, Cariacica). Haverá cadastro de medula óssea.

 

15/03 – Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE) da Ufes (Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras, Vitória).

 

21/03 – Faculdade Multivix (rua Sete de Setembro, 173, Centro, Vila Velha). Haverá cadastro de medula óssea.

 

23 e 24/03 – Secretaria Municipal de Saúde de Guaçuí (Praça João Acacinho, 01, Centro, Guaçuí). Haverá cadastro de medula óssea.

 

ABRIL

 

05/04 – Praça Duque de Caxias, Centro, Santa Teresa. Haverá cadastro de medula óssea.

 

24 e 25/04 – antiga Escola Municipal Terfina Rocha Ferreira (rua Manoel Joaquim dos Santos, Itacibá, Cariacica).

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorLançamento outono-inverno do showroom Olivia Salles e da Lavish – Fotos: Cloves Louzada
Próximo artigoRegional da Nair convida Molejo para sua festa de 10 anos
Foto de perfil de Maurício Prates
Maurício Prates nasceu em Cachoeiro de Itapemirim e a comunicação em sua vida começou muito cedo. Aos 11 anos, em 1954, produziu o seu primeiro jornal. Um jornalzinho que falava da escola, dos estabelecimentos de ensino professor Alfredo Herkenhoff. Foi até a papelaria Vieira e pesquisou com Geraldino Poubel o preço da publicação e em seguida percorreu o comércio para vender anúncios e cobrir a despesa do seu primeiro jornal. Não ganhou nada. Só mesmo experiência. No mês seguinte a história mudou e além de publicar o segundo número do jornal, ainda sobrou dinheiro para comprar um sapato novo, ir ao cinema e tomar, de uma só vez, três sorvetes na " Polar", a mais tradicional sorveteria da cidade. E não parou mais. E de lá para cá, deu no que deu! Maurício é bacharel em direito, mas nunca exerceu advocacia. É jornalista e radialista com registros no ministério do trabalho. Tudo guardado em sua carteira de trabalho. Uma única carteira, assinada somente por empresas do grupo João Santos. Sua magistral universidade de vida. O primeiro contrato de trabalho foi na fábrica de cimento, como auxiliar administrativo; depois foi para o Jornal Arauto - que circula desde de 1976 sob sua direção -. em 1978 foi contratado pela Nassau Editora Radio e TV e montou A Tribuna fm Cachoeiro. Em 1982 veio para Vitória dirigir a rede A Tribuna onde ficou até 1998, quando fez um acordo com A Tribuna, fechou o seu contrato de trabalho e lançou a sua coluna diária em A Tribuna, no dia 08 de outubro de 1998. "O grupo João Santos é, e sempre será uma extensão na minha vida, não somente profissional, mas principalmente pela formação de minha vida", diz Maurício Prates para quem quer ouvir.

Deixe uma resposta