PÉROLAS

“Nossas análises mostram que 80% a 90% das doenças de veiculação hídrica são adquiridas por causa da falta de saneamento.”
Vamos ler juntos, mais uma vez, a frase do Fernando Garcia, economista e consultor da ONG Trata Brasil.

“De volta ao jogo! As oportunidades surgem e temos que aproveitá-las.”
De Simone Chieppe sobre a aquisição da Viação Grande Vitória, que realiza transporte de passageiros em linhas do Transcol e do transporte municipal de Vitória.

“Brasil controla tudo.”
Do craque argentino Messi logo após a eliminação para o Brasil na semifinal da Copa América, criticando a arbitragem e a Conmebol, entidade à frente do futebol na América do Sul. Chora, Messi, chora!

“A demolição para mim chama-se maldade, e maldade com um pouco de burrice também.”
Luiz César Maretto, diretor-geral do Instituto de Obras Públicas do Estado (Iopes), sobre a demolição da cobertura do terminal e do pórtico de entrada do Terminal de Itaparica, em Vila Velha.

CARMEN Prates, Lúcia Poubel e Mariana Queiróz em jantar beneficente na Ilha
(Cloves Louzada)

Eles nas redes sociais
“Pai afasta de mim essa vontade de gastar o dinheiro que eu não tenho em coisa que eu não preciso”
@luquinha
***
“Vendo entrevistas de famosos em programas de entrevistas pensando em que história da minha vida eu vou contar quando for famosa e tiver que ir num programa de entrevistas.”
@halfagony

Beleza com mel de manuka
O ingrediente da vez para tratamentos e produtos de beleza é o mel de manuka, produzido a partir do pólen da florzinha de pétalas brancas que nasce em arbustos na Nova Zelândia e na Austrália. Entre os benefícios apontados para a saúde, esse mel tem propriedades antibacterianas e probióticas que ajudam a fortalecer a digestão e o sistema imunológico, além de ser rico em vitaminas. Todas essas propriedades chamaram a atenção de marcas de beleza e spas, que transformaram o mel de manuka no queridinho da temporada.
A Vogue fez uma seleção dos principais produtos com esse princípio ativo, como o Manuka Rose Facial, no spa do hotel The Dorchester (Londres). O tratamento (R$ 790,00) inclui inalação de óleo de rosas, esfoliação e máscara. Para usar em casa, algumas opções são o Naturopathica Manuka Honey Cleansing Balm (US$ 62,00, ou R$ 237,00), para retirar a maquiagem; o Arcona Hydrating Serum (US$ 50,00, ou R$ 192,00), que combina ácido hialurônico para combater os radicais livres; e o Savor Beauty Manuka Detox Mask (US$ 64,00, ou R$ 246,00), para soltar as células mortas da pele.

TRATAMENTO com mel de manuka no spa do The Dorchester, em Londres
(Divulgação)

Pedidos de casamento…
Sem noção! Circula vídeo de um rapaz que simulou um acidente de moto, com direito a ser coberto por um pano preto, literalmente se fingindo de morto. Quando a namorada chegou desesperada ao local, ele levantou, tirou o capacete e a pediu em casamento. Hein? “Se é comigo, eu mato e ainda passo com a moto por cima do sujeito pra ter certeza que morreu mesmo”, comenta leitora.

…nada românticos
O pior é que esse péssimo gosto parece ser tendência mundial. Na Rússia, uma empresa cobra perto de R$ 1,5 mil para simular uma abordagem policial. Vídeo mostra a moça encostada no capô do carro, com as mãos para trás e uma arma apontada para ela enquanto os “soldados” revistam o veículo. Até que uma caixinha é entregue ao rapaz, ele abre, mostra as alianças e ainda tem a cara de pau de se ajoelhar, bem “romântico”. Sinceramente? Um babaquara!

Calçadão confuso
Quem frequenta o calçadão de Camburi reclama que de nada adiantam as marcações no chão delimitando os espaços para pedestres e usuários de skate e patins, além dos patinetes – que, onde há ciclovia, como no calçadão, devem circular nela. “Tem até motos passando no local destinado a quem está a pé! Prato cheio para um acidente a qualquer momento”, reclama leitor da coluna.

Copa delas!
Hoje, às 12h, é a final da Copa do Mundo Feminina, entre Estados Unidos e Holanda. A competição escancarou a desigualdade em relação ao futebol masculino, como as americanas, que processam a USA Soccer por discriminação de gênero. Lá, apesar de as mulheres superarem os homens em resultados e receita, ganham absurdamente menos que eles. Exemplo: a camisa da seleção feminina é a campeã de vendas no site da Nike e elas podem conquistar o tetra hoje. Já os homens nunca chegaram a uma final e sequer se classificaram para a última Copa.

ANDREA Andrade e Filipe Pimentel
(Cloves Louzada)

Novo normal do clima
Olha essa! Os cientistas alertam há décadas sobre os efeitos climáticos do aquecimento global, como temporais fora de época. É o “novo normal do clima”, mas autoridades seguem ignorando a necessidade de preparar as cidades para encarar esses fenômenos. A saída pode ser contratar seguros de carro, imóveis e equipamentos prevendo cobertura para acontecimentos da natureza. “Os seguros residenciais são mais acessíveis, já que os incidentes em casa são menos frequentes do que com veículos”, conta Karolynne Cavêdo, superintendente de seguradora na Ilha.

Destinos da vez
Os capixabas viajam mesmo com o dólar e o euro altos. Fernando Machado Junior, da Luxe Travel, diz que o mercado está facilitando ao parcelar as viagens sem juros, em reais. “No Brasil, os destinos da vez são Foz do Iguaçu, Gramado, Bento Gonçalves e Porto de Galinhas. Para os viajantes internacionais, Portugal, Paris e as charmosas cidades da Riviera Francesa. Dubrovnik, na Croácia, que já foi cenário de Game of Thrones, continua em alta neste verão europeu”, disse-nos.

Confusões no WhatsApp
Quando as conversas nos grupos de WhatsApp tomam um rumo malicioso, é hora de ligar o alerta – e deletar os inconvenientes. Em casos de ofensas e xingamentos no aplicativo de mensagens, até quem não falou mal da vítima pode ser responsabilizado pelo crime de omissão, segundo o advogado Felipe Loureiro. “É importante sinalizar desacordo com as mensagens agressivas logo no início da discussão”, orienta.

Santa oliveira
Santa Teresa vai ganhar a primeira agroindústria para extração de azeite de oliva do Estado, com investimento estimado em R$ 2 milhões. Já na safra 2020/21, a meta é produzir azeite de qualidade e genuinamente capixaba em escala comercial. Já são 115 propriedades rurais capixabas, com área plantada de 186,5 hectares, em 15 municípios serranos. Em 2018, houve a extração experimental do primeiro azeite capixaba.

Coração de gelo
Grupo de voluntários de Vila Velha criou um espaço na praia de Itaparica para que pessoas pudessem doar casacos, cobertores e demais roupas de frio neste inverno, fixando uma placa de “Doe aqui” e uma caixa para o depósito das peças no calçadão. Dias depois, um morador da orla foi visto tirando os itens da campanha solidária por estar, segundo ele, “enfeando” e “empobrecendo” o local. Assim caminha a humanidade…

Artigo anteriorColuna 06 de julho
Próximo artigoTRATAMENTO com mel de manuka no spa do The Dorchester, em Londres
Maurício Prates nasceu em Cachoeiro de Itapemirim e a comunicação em sua vida começou muito cedo. Aos 11 anos, em 1954, produziu o seu primeiro jornal. Um jornalzinho que falava da escola, dos estabelecimentos de ensino professor Alfredo Herkenhoff. Foi até a papelaria Vieira e pesquisou com Geraldino Poubel o preço da publicação e em seguida percorreu o comércio para vender anúncios e cobrir a despesa do seu primeiro jornal. Não ganhou nada. Só mesmo experiência. No mês seguinte a história mudou e além de publicar o segundo número do jornal, ainda sobrou dinheiro para comprar um sapato novo, ir ao cinema e tomar, de uma só vez, três sorvetes na " Polar", a mais tradicional sorveteria da cidade. E não parou mais. E de lá para cá, deu no que deu! Maurício é bacharel em direito, mas nunca exerceu advocacia. É jornalista e radialista com registros no ministério do trabalho. Tudo guardado em sua carteira de trabalho. Uma única carteira, assinada somente por empresas do grupo João Santos. Sua magistral universidade de vida. O primeiro contrato de trabalho foi na fábrica de cimento, como auxiliar administrativo; depois foi para o Jornal Arauto - que circula desde de 1976 sob sua direção -. em 1978 foi contratado pela Nassau Editora Radio e TV e montou A Tribuna fm Cachoeiro. Em 1982 veio para Vitória dirigir a rede A Tribuna onde ficou até 1998, quando fez um acordo com A Tribuna, fechou o seu contrato de trabalho e lançou a sua coluna diária em A Tribuna, no dia 08 de outubro de 1998. "O grupo João Santos é, e sempre será uma extensão na minha vida, não somente profissional, mas principalmente pela formação de minha vida", diz Maurício Prates para quem quer ouvir.

Deixe seu comentário: