PÉROLAS

“Nunca se mostre fraco perante os inimigos, mesmo que esteja em um momento ruim. Finja ser fortaleza e assim será visto por eles.”
Leopoldino José, taxista de Cachoeiro de Itapemirim, em frase estampada no painel de seu carro.

“Ninguém veio na minha casa e orientou sobre a situação da água. A gente usa a água do jeito que aprende, eu fervo para beber.”
Daniel Rodrigues, comerciante e morador de Via Velha que nunca teve água tratada em casa.

“Gera preocupação o fato de as pessoas estarem portando arma na rua. Isso pode potencializar os conflitos banais, como briga no trânsito, entre vizinhos…”
Pablo Lira, professor de mestrado em Segurança Pública.

“É impressionante! Ela sabe o jogo de corpo, o tronco, tudo certinho.”
Gilson Moraes, tutor e treinador da cadela capixaba Maya, que conquistou o bicampeonato em competição de surfe realizada na Califórnia, nos Estados Unidos. Ela disputa mais um “surf dog” em novembro, em Florianópolis (SC).

AS QUERIDAS Renata Gouvêa e Cláudia Mameri em festa na Ilha
(Cloves Louzada)

Eles nas redes sociais
“Parem de chamar trabalho de job e tigela de bowl”
@Mikalins


“Uma frase que me ajudou a fazer uma peneira nas minhas amizades foi: será que você tá sendo correspondido ou só respondido? Recomendo.”
@juzao

NOSSA DICA

Alexa em português
A Amazon lançou na última quinta o dispositivo Echo no Brasil, com a assistente eletrônica Alexa falando português. Agora é possível perguntar sobre o trânsito, previsão do tempo, elaborar lista de compras, fazer ligações, pedir Uber ou iFood, acender ou apagar luzes, pedir para tocar músicas etc e tal. As caixas de som inteligentes controladas por voz podem ser encontradas na versão Echo Dot (R$ 349,00, ou R$ 249,00 no preço promocional até as 23h59 de segunda-feira), Eco Show (com imagem e som, por R$ 599,00, ou R$ 449,00 promocional) e Echo, que estará disponível em breve com qualidade de som premium e áudio 360°, por R$ 699,00.
A adaptação para o Brasil não foi só na língua. A Alexa reconhece sotaques, entende piadas e memes, canta hinos de times e tem um perfil mais despojado de interação. “Ela informa como se fosse um amigo falando”, conta Ricardo Garrido, diretor-geral da Alexa no Brasil. Para quem já tinha o dispositivo comprado nos Estados Unidos e se comunicava com a Alexa em inglês, a dica é transferir a configuração para o Brasil, o que permitirá ter acesso a mais funcionalidades. A troca deve ser feita no site Amazon.com, no menu “Account & Lists”.

O ECHO Dot é um dos dispositivos controlados pela assistente virtual Alexa que a Amazon acabou de lançar no Brasil
(Divulgação)

Sem raça
Cada vez mais famílias da Grande Vitória estão adotando cãezinhos sem raça definida (SRD), seja por conta de campanhas contra a comercialização de animais ou pelo temperamento dócil e inteligente dos vira-latas. Dia desses, leitora encontrou quatro filhotinhos abandonados no meio da calçada. Levou para casa, deu os vermífugos com ajuda de um pet shop, tirou os carrapatos, deu um banho de loja, comida e carinho. Em duas semanas, todos foram adotados e hoje fazem a alegria de suas novas famílias.

Voltando a sonhar
Mais de 200 crianças são atendidas pela Obra Social Gabriel Delanne, uma organização sem fins lucrativos localizada em Cariacica, que funciona de segunda a domingo, das 6h às 19h. A fundadora, Elza da Silva, diz que os meninos tomam café da manhã, almoçam, lancham, jantam e tomam banho, além de terem aulas de judô, jiu-jitsu, balé, capoeira, futebol, artes circenses, reforço escolar e informática. “Você vê a criança voltando a sonhar! É uma grande conquista transformar os pequenos em cidadãos”, disse-nos. Interessados em ajudar podem entrar em contato pelo (27) 99797-1968.

Longevidade garantida
Dentre as empresas de capital aberto, aquelas que listam suas ações na Bolsa de Valores, as de origem familiar são as que apresentam maior longevidade: média de 24 anos, nove a mais do que companhias públicas, segundo o Fórum Brasileiro da Família Empresária. De acordo com João Eugênio Modenesi Filho, especialista em Planejamento Patrimonial e Sucessório, o investimento em governança corporativa é o segredo. “A gestão da empresa é realizada de maneira mais profissional, separando as esferas familiares, de propriedade e de gestão”, explica.

Inovação em codornas
Pesquisa do IBGE informa que o efetivo de codornas e a produção de ovos desse animal somaram 16,8 milhões e 297,3 milhões de dúzias, respectivamente. A região Sudeste concentra mais da metade do efetivo brasileiro (64%), com destaque para os estados de São Paulo (26%) e Espírito Santo (21%). Santa Maria de Jetibá lidera entre os municípios. “São Paulo tem tradição, mas o Espírito Santo tem inovação”, disse a pesquisadora Mariana de Oliveira.

RODRIGO Abelha, Vitor Martins, a cantora Caju e Leo Santos no Barlavento
(Cloves Louzada)

Vida sexual e alimentação
Na correria do dia a dia, tem muita gente se alimentando mal e isso está afetando até a vida sexual. Epa! De acordo com a nutricionista funcional e da vida sexual Letícia Matrak, uma dieta orientada, apenas com alimentação natural, é capaz de aumentar a libido e a energia, melhorando o desempenho sexual e até o resultado entre casais que estão tentando engravidar. “A alimentação está diretamente ligada a uma vida mais saudável, e isso influencia em todas as áreas”, disse. Anotaram?

Felicidade x lucro
O Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef/ES) realiza um evento sobre como a felicidade pode aumentar o lucro das empresas, nos dias 24 de outubro e 20 de novembro, em Vitória. Flávia Veiga, vice-presidente do Ibef, diz que criar uma sociedade feliz é uma questão econômica, ética, social e de saúde pública. “Não é o sucesso que traz a felicidade, é a felicidade que traz o sucesso”, destaca.

Chão grudento
O corredor de saída de uma rede de cinemas em Vila Velha é vergonhoso: a sujeira é tanta que o chão chega a ser grudento! “Percebemos que nossos sapatos estavam colando no chão melado de refrigerante e milk-shake. Dava para sentir até um mau cheiro”, disse frequentadora assídua das telonas dessa mesma rede em Vitória e que se assustou com a situação ao ir pela primeira vez em uma dessas salas em um centro de compras canela-verde. Isso não pode!

Boudoir e empoderamento
A foto boudoir costumava ser procurada por noivas que realizavam um ensaio íntimo e mais ousado para presentear o noivo. Porém, as mulheres têm descoberto que esse estilo de foto também pode ser feito para si mesmas, como forma de reconhecer sua beleza e sua liberdade de se expressar. A fotógrafa capixaba Jociane Bristt explica que, além de uma recordação, essas mulheres estão em busca do resgate do amor próprio e do empoderamento. “Elas querem se enxergar não apenas mais bonitas, mas também mais fortes”, disse.

Artigo anteriorColuna 05 de outubro
Próximo artigoAlexa em português
Maurício Prates nasceu em Cachoeiro de Itapemirim e a comunicação em sua vida começou muito cedo. Aos 11 anos, em 1954, produziu o seu primeiro jornal. Um jornalzinho que falava da escola, dos estabelecimentos de ensino professor Alfredo Herkenhoff. Foi até a papelaria Vieira e pesquisou com Geraldino Poubel o preço da publicação e em seguida percorreu o comércio para vender anúncios e cobrir a despesa do seu primeiro jornal. Não ganhou nada. Só mesmo experiência. No mês seguinte a história mudou e além de publicar o segundo número do jornal, ainda sobrou dinheiro para comprar um sapato novo, ir ao cinema e tomar, de uma só vez, três sorvetes na " Polar", a mais tradicional sorveteria da cidade. E não parou mais. E de lá para cá, deu no que deu! Maurício é bacharel em direito, mas nunca exerceu advocacia. É jornalista e radialista com registros no ministério do trabalho. Tudo guardado em sua carteira de trabalho. Uma única carteira, assinada somente por empresas do grupo João Santos. Sua magistral universidade de vida. O primeiro contrato de trabalho foi na fábrica de cimento, como auxiliar administrativo; depois foi para o Jornal Arauto - que circula desde de 1976 sob sua direção -. em 1978 foi contratado pela Nassau Editora Radio e TV e montou A Tribuna fm Cachoeiro. Em 1982 veio para Vitória dirigir a rede A Tribuna onde ficou até 1998, quando fez um acordo com A Tribuna, fechou o seu contrato de trabalho e lançou a sua coluna diária em A Tribuna, no dia 08 de outubro de 1998. "O grupo João Santos é, e sempre será uma extensão na minha vida, não somente profissional, mas principalmente pela formação de minha vida", diz Maurício Prates para quem quer ouvir.

Deixe seu comentário: