Eles nas redes sociais

“Que bonito seria deixar o mundo melhor de como o encontramos!”

@Pontifex_pt

***

“Tentando manter a dieta em BH, tô no frango com abacaxi. A vodka e o gelo que vieram junto com o abacaxi surgiu, acho, nem sei”

@renatosavoldi

 

EM FAMÍLIA na Festa da Primavera, com Carmen, a neta Clara, Fernanda, Maria Cecília e Gustavo (Cloves Louzada)
EM FAMÍLIA na Festa da Primavera, com Carmen, a neta Clara, Fernanda, Maria Cecília e Gustavo
(Cloves Louzada)

 

 

Hoje

É o Dia da Secretária, profissional imprescindível para girar a roda da economia. Parabéns!

***

Nhozinho Matos recebe convidados em seu Gaeta, Meaípe, para comemoração ao Dia da Moqueca Capixaba.

 

BELAS e elegantes, Renata Pacheco e Denise Gazzinelli Cruz (Cloves Louzada)
BELAS e elegantes, Renata Pacheco e Denise Gazzinelli Cruz
(Cloves Louzada)

 

 

Mais uma!

Foi um prazer agradecer aos mais de 400 convidados que estiveram na Festa da Primavera aqui da coluna, quarta-feira, no exuberante Le Buffet Master. Se fôssemos listar cada item com detalhes, precisaríamos de página dupla. As fotos falam. E Toca a Vida! Graças a Deus!

 

Como nunca

A indiferença do eleitor para o pleito de domingo aqui no Estado exige, a quem interessa saber o motivo do desânimo, uma conversa ao pé do ouvido com os mais chegados. Bom isso não é! Não dá para colocar de escanteio um direito amplo, em que o voto dá as cartas e há vigilância aos eleitos.

 

Economia x perdas

Enquanto a população se vira para economizar água, encarando um rodízio de abastecimento, a dureza está nos números: a economia prevista com o racionamento é entre 15% e 20%, quantidade menor do que os 33% registrados em perdas (vazamentos, falhas de tubulações e ligações irregulares). Significa que, se um terço da água não se perdesse no caminho até as casas, comércios e indústrias, talvez nem fosse necessário cortar o abastecimento.

CHRISTIANO Canedo, Sérgio Rogério de Castro e Alexandre Carvalho de Mendonça (Cloves Louzada)
CHRISTIANO Canedo, Sérgio Rogério de Castro e Alexandre Carvalho de Mendonça
(Cloves Louzada)

 

 

Alguém aí para agir?

Parece maluquice, e é! Drones seguem soltos sobre nossas cabeças, sem nenhuma fiscalização do vaivém da engenhoca! Em Vitória já foram registrados vários acidentes e nenhuma preocupação de autoridades para frear o iminente perigo!

 

Mito

Flamenguista de carteirinha não acreditou quando viu o técnico rubro-negro Zé Ricardo correndo na Praça dos Namorados, em Vitória, e batendo papo tranquilamente com quem estava por lá. Pediu para tirar foto e foi muito bem atendido. E voltando ao tema superstição, após a eliminação na Copa Sul-Americana, quarta-feira, choveu de pergunta à coluna: quem foi o sacana que trocou de quarto no hotel?

 

Formando cidadãos

Com o objetivo de que os alunos sejam agentes conscientes da sociedade, foi realizada no último dia 23 a Mostra Científica e Cultural Crescer PHD, apresentando produções humanas, artísticas e linguísticas, seguindo a linha do mundo de hoje, onde a criatividade e a determinação falam mais.

 

Acordo

O presidente da Assembleia Legislativa, Theodorico Ferraço, clama por um acordo que resulte na retomada das operações da Samarco, uma das maiores geradoras de impostos para as finanças capixabas. “A Vale ficou de se entender com a BHP Billiton para assumir a direção da Samarco e com um simples trabalho no mineroduto que passa perto da jazida da Vale, em estado de emergência, ela enviaria o minério para a Samarco”, explicou.

O CASAL Martha e Paulo Ruy Carnelli (Cloves Louzada)
O CASAL Martha e Paulo Ruy Carnelli
(Cloves Louzada)

 

01Nova geração

Em recente conferência em Vitória, o sociólogo italiano Domenico De Masi, autor do conceito de ócio criativo, falou sobre o futuro da humanidade. “Em 2030, seremos 8 bilhões de pessoas, com uma grande diferença entre ricos e pobres. A China terá os maiores bancos e a inteligência artificial será a marca do século XXI. Somos a geração da cultura e da criatividade”, avalia.

 

Na face

O cuidado com o rosto tem levado capixabas ao consultório cada vez mais cedo. O perfil de pacientes está na faixa dos 30 anos, sendo 65% mulheres e 35% homens. A dermatologista Karina Mazzini conta que nessa idade já começa a preocupação com o envelhecimento. “O homem em geral não tem paciência para usar nada em casa, preferindo aplicar tudo no consultório”, disse.

 

Separação de bens

“A bagagem se separou de você durante a viagem?”, pergunta a operadora de cartão Visa para anunciar um serviço de proteção por perda de bagagem. Pois parece até que a mala se zangou com o dono e saiu do avião por conta própria! Feia tentativa de amenizar palavras para a grave e traumática situação de – com todas as letras – extravio de bagagens por parte das companhias aéreas.

 

Cinema acessível

Todas as salas de cinema do País deverão ter recursos de acessibilidade comunicacional em dois anos. A tecnologia para pessoas com deficiência visual e auditiva em todas as sessões comerciais será obrigatória em 2018. Os cinemas deverão oferecer o recurso de legenda, audiodescrição e Libras para quem solicitar.

 

Feito a mão

O capixaba está se rendendo aos itens feitos a mão para presentear. A artista plástica Silvana Silva, que tem um ateliê no shopping Day By Day, em Vitória, diz que a demanda está aumentando como uma forma de resgatar valores. “A pessoa chega com uma ideia e eu crio, como lembrancinha de maternidade, casamento, enxovais, cama e mesa. Dia desses fiz uma toalhinha bordada para o cão de uma médica, presenteada pela paciente. Peça única é carinho”, conta.

Artigo anteriorColuna 29 de setembro
Próximo artigoCasamento Dayana Barroso e Juninho Santos – 30/09/2016
Maurício Prates nasceu em Cachoeiro de Itapemirim e a comunicação em sua vida começou muito cedo. Aos 11 anos, em 1954, produziu o seu primeiro jornal. Um jornalzinho que falava da escola, dos estabelecimentos de ensino professor Alfredo Herkenhoff. Foi até a papelaria Vieira e pesquisou com Geraldino Poubel o preço da publicação e em seguida percorreu o comércio para vender anúncios e cobrir a despesa do seu primeiro jornal. Não ganhou nada. Só mesmo experiência. No mês seguinte a história mudou e além de publicar o segundo número do jornal, ainda sobrou dinheiro para comprar um sapato novo, ir ao cinema e tomar, de uma só vez, três sorvetes na " Polar", a mais tradicional sorveteria da cidade. E não parou mais. E de lá para cá, deu no que deu! Maurício é bacharel em direito, mas nunca exerceu advocacia. É jornalista e radialista com registros no ministério do trabalho. Tudo guardado em sua carteira de trabalho. Uma única carteira, assinada somente por empresas do grupo João Santos. Sua magistral universidade de vida. O primeiro contrato de trabalho foi na fábrica de cimento, como auxiliar administrativo; depois foi para o Jornal Arauto - que circula desde de 1976 sob sua direção -. em 1978 foi contratado pela Nassau Editora Radio e TV e montou A Tribuna fm Cachoeiro. Em 1982 veio para Vitória dirigir a rede A Tribuna onde ficou até 1998, quando fez um acordo com A Tribuna, fechou o seu contrato de trabalho e lançou a sua coluna diária em A Tribuna, no dia 08 de outubro de 1998. "O grupo João Santos é, e sempre será uma extensão na minha vida, não somente profissional, mas principalmente pela formação de minha vida", diz Maurício Prates para quem quer ouvir.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here