O governo do Estado irá investir mais de R$ 160 milhões em 2018, com a assinatura de 12 decretos pelo governador Paulo Hartung. Desse total, R$ 103 milhões serão de recursos do Estado e o restante de operações de crédito e transferência federal.

Entre as áreas contempladas, estão Segurança Pública (R$ 40 milhões, sendo R$ 25 milhões apenas para a Polícia Militar), Saúde (R$ 50 milhões) e Educação (R$ 50 milhões).

– Secretaria de Estado de Esportes e Lazer (Sesport) – R$ 1,04 milhão
Projetos esportivos relativos a Ocupação Social

– Fundo de Cultura do Estado do Espírito Santo (Funcultura) – R$ 2,34 milhões
Seleção de projetos de cultura e arte nos bairros do Ocupação Social

– Secretaria de Estado de Direitos Humanos – R$ 1,69 milhão
Cursos de qualificação profissional

– Fundo Estadual de Habitação de Interesse Social – R$ 1,61 milhão
Obras para o Residencial Barra do Riacho, em Aracruz

– Fundo Estadual de Habitação de Interesse Social – R$ 4,73 milhões
Residencial Vista Linda da Serra (R$ 2,3 milhões); Levantamento topógrafo (R$ 2,4 milhões)

– Prodest – R$ 3,45 milhões
Metro GVIX

– Polícia Civil – R$ 16 milhões
Reforma e ampliação das unidades de Polícia Civil, viaturas (aproximadamente 120 viaturas pequenas), armamento (250 armas)

– Polícia Militar – R$ 25 milhões
Reforma e ampliação das unidades da PMES, coletes balísticos, armamentos, viaturas e outros equipamentos e materiais permanentes

– FUNPAES – R$ 50 milhões
Ações de cooperação entre Estado e municípios para a implementação das políticas públicas de educação

– Iases – R$ 2,15 milhões
Celebração de termo de colaboração com OSCs de medida socioeducativa em três unidades a serem implantadas em Linhares

– Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) – R$ 49,93 milhões
Hospital Geral de Cariacica, serviços especializados no Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória e Hospital Evangélico de Vila Velha

– Secretaria da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti) – R$ 2,83 milhões
Qualificação profissional no Vasco Coutinho e Talmo Luis Silva

Artigo anteriorColuna 27 de fevereiro
Próximo artigoDevoção fashion de Dolce & Gabbana teve renascentismo e drones
Maurício Prates nasceu em Cachoeiro de Itapemirim e a comunicação em sua vida começou muito cedo. Aos 11 anos, em 1954, produziu o seu primeiro jornal. Um jornalzinho que falava da escola, dos estabelecimentos de ensino professor Alfredo Herkenhoff. Foi até a papelaria Vieira e pesquisou com Geraldino Poubel o preço da publicação e em seguida percorreu o comércio para vender anúncios e cobrir a despesa do seu primeiro jornal. Não ganhou nada. Só mesmo experiência. No mês seguinte a história mudou e além de publicar o segundo número do jornal, ainda sobrou dinheiro para comprar um sapato novo, ir ao cinema e tomar, de uma só vez, três sorvetes na " Polar", a mais tradicional sorveteria da cidade. E não parou mais. E de lá para cá, deu no que deu! Maurício é bacharel em direito, mas nunca exerceu advocacia. É jornalista e radialista com registros no ministério do trabalho. Tudo guardado em sua carteira de trabalho. Uma única carteira, assinada somente por empresas do grupo João Santos. Sua magistral universidade de vida. O primeiro contrato de trabalho foi na fábrica de cimento, como auxiliar administrativo; depois foi para o Jornal Arauto - que circula desde de 1976 sob sua direção -. em 1978 foi contratado pela Nassau Editora Radio e TV e montou A Tribuna fm Cachoeiro. Em 1982 veio para Vitória dirigir a rede A Tribuna onde ficou até 1998, quando fez um acordo com A Tribuna, fechou o seu contrato de trabalho e lançou a sua coluna diária em A Tribuna, no dia 08 de outubro de 1998. "O grupo João Santos é, e sempre será uma extensão na minha vida, não somente profissional, mas principalmente pela formação de minha vida", diz Maurício Prates para quem quer ouvir.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here