Eles nas redes sociais

“Para quem tem que trabalhar on-line socialmente, minha dica é que se vistam normalmente. Quando eu tô em casa escrevendo, fico de pijama. Mas para dar aula e reunião, me visto, incluindo sapato que não aparece, pois o ponto não é estético, mas psicológico. Funciona para mim.”

@_pinheira

***

“Preços de passagem pro Réveillon estão ótimos”

@ladyrasta

A FARMACÊUTICA Raigna Vasconcelos, que mantém seu ritmo de trabalho acelerado, mesmo neste período de quarentena
(Cloves Louzada)

Acesso à higiene

O drama das comunidades carentes neste momento está na falta de acesso a itens básicos de higiene, como sabão, extremamente necessário para lavar as mãos e conter o avanço do Covid-19. Por isso, muitas pessoas estão se mobilizando para doar a quem mais precisa, como as dentistas Mariella Gottardi e Dyanne Dalcomune. A campana de solidariedade tem dois supermercados parceiros, que farão as entregas na Central Única das Favelas (Cufa-ES). “A entidade fará a distribuição nas áreas de alta vulnerabilidade social com responsabilidade, sem aglomerações”, conta Mariella.

Sessão virtual

A Assembleia Legislativa do Espírito Santo vai realizar, pela primeira vez, uma votação a distância, por meio de videoconferência. Os deputados se reunião hoje em sessão virtual, para evitar aglomerações. Em pauta, estarão quatro projetos enviados pelo governador Renato Casagrande com medidas para conter o contágio. “Haverá uma videoconferência com todos os parlamentares que irão proferir seus votos para que sejam registrados e a assessoria irá computá-los”, explicou o deputado Marcelo Santos, coordenador da Ales Digital.

Prazos suspensos

A Associação dos Magistrados do Espírito Santo (Amages) agradece ao Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES) por ter atendido ao pedido de suspensão dos atos e prazos judiciais, desde o último dia 17, demonstrando preocupação com a saúde dos magistrados, servidores, promotores, defensores, advogados e de todo o público que frequenta as dependências do Poder Judiciário Estadual, por conta do Covid-19. Somente serão expedidos mandados para diligências consideradas urgentes e que devam ser cumpridas neste período. A princípio, a decisão segue até o próximo dia 31, podendo ser prorrogada.

LILIANE Maia e Bernadette Rubim
(Cloves Louzada)

Parque Tecnológico

As obras do Centro de Inovação do Parque Tecnológico, em Goiabeiras, estão 70% concluídas, e a previsão é que o prédio seja entregue no segundo semestre deste ano. Este mês foi publicado o edital de licitação pública para a contratação de uma empresa de consultoria especializada em gestão, implantação, capacitação, bem como formação de ecossistema de inovação e empreendimentos. A expectativa é a geração de 140 empregos diretos já no primeiro ano e 8,7 mil novas vagas em 12 anos.

Pagamentos mantidos

É muito importante que as pessoas não interrompam o pagamento dos serviços que foram suspensos por decisão do governo, por motivos de força maior, para enfrentar a disseminação do coronavírus, alerta Léo de Castro, presidente da Findes. “Precisamos manter o pagamento de serviços como academia de ginástica, escolas, cursos de língua estrangeira, cursos de arte ou qualquer outro serviço. É preciso também que as pessoas mantenham seus hábitos de alimentação. Se gostam de um restaurante, peçam delivery”, ressalta Léo, sobre a importância de manter a economia girando.

IRPF na prática

Ainda dá tempo de aprender tudo sobre Imposto de Renda e garantir uma renda extra ajudando a quem precisa realizar a entrega da declaração, que segue até 30 de abril. A contadora Rayane Ramos promove no próximo dia 4 o curso “IRPF 2020 na Prática”, voltado para contadores iniciantes, estudantes de contabilidade e administradores, na Praia do Canto, com regras de preenchimento, procedimentos importantes para não cair na malha fina e todas as mudanças adotadas pela Receita este ano.

MIKAELLA Narde e Paola Baptista
(Cloves Louzada)

Hora do Planeta

A XIII edição da Hora do Planeta, no próximo sábado, será nas varandas e janelas sob o lema “Apaga a Luz. Vai Ficar Tudo Bem”, das 20h30 às 21h30. O tradicional movimento de apagar as luzes pelo planeta, geralmente acompanhado de ações educativas, será digital por conta da pandemia. “Pedimos que lancem em código morse, das varandas e balcões, usando a lanterna do telefone ou outra que tenham em casa”, escreveu a WWF na sua página de internet, para incentivar os cidadãos a participarem.

De costas para a costa

A cadeia produtiva de pesca representa 7% do PIB capixaba, reunindo 16,5 mil pescadores na atividade, que passa por pesca, fabricação e comércio dos produtos usados na atividade, como rede, equipamentos, fabricação do gelo, supermercados, peixarias etc. Braz Clarindo Filho, representante do Sindicato dos Pescadores do Estado, diz que nesta época de Quaresma a procura por pescado triplica. “Mas o pescador continua sem o trabalho reconhecido. O Estado está de costas para a costa”, lamenta.

Anticrime Desde que o Pacote Anticrime entrou em vigor, em janeiro, 1.043 acordos de não persecução penal (ANPPs) foram firmados pelo Ministério Público Federal em todo o País. Eles se referem, em sua maioria, a crimes de contrabando (498), estelionato majorado (376), uso de documento falso (238), moeda falsa (142) e crimes contra o meio ambiente (84). O estado onde houve o maior número de acordos foi o Paraná (616), seguido de São Paulo (335), Minas Gerais (327) e Espírito Santo (145). A medida contribui para a desburocr

PENHA Lima Corrêa e Diana Murad
(Cloves Louzada)

Artigo anteriorColuna 24 de março
Próximo artigoColuna 26 de março
Maurício Prates nasceu em Cachoeiro de Itapemirim e a comunicação em sua vida começou muito cedo. Aos 11 anos, em 1954, produziu o seu primeiro jornal. Um jornalzinho que falava da escola, dos estabelecimentos de ensino professor Alfredo Herkenhoff. Foi até a papelaria Vieira e pesquisou com Geraldino Poubel o preço da publicação e em seguida percorreu o comércio para vender anúncios e cobrir a despesa do seu primeiro jornal. Não ganhou nada. Só mesmo experiência. No mês seguinte a história mudou e além de publicar o segundo número do jornal, ainda sobrou dinheiro para comprar um sapato novo, ir ao cinema e tomar, de uma só vez, três sorvetes na " Polar", a mais tradicional sorveteria da cidade. E não parou mais. E de lá para cá, deu no que deu! Maurício é bacharel em direito, mas nunca exerceu advocacia. É jornalista e radialista com registros no ministério do trabalho. Tudo guardado em sua carteira de trabalho. Uma única carteira, assinada somente por empresas do grupo João Santos. Sua magistral universidade de vida. O primeiro contrato de trabalho foi na fábrica de cimento, como auxiliar administrativo; depois foi para o Jornal Arauto - que circula desde de 1976 sob sua direção -. em 1978 foi contratado pela Nassau Editora Radio e TV e montou A Tribuna fm Cachoeiro. Em 1982 veio para Vitória dirigir a rede A Tribuna onde ficou até 1998, quando fez um acordo com A Tribuna, fechou o seu contrato de trabalho e lançou a sua coluna diária em A Tribuna, no dia 08 de outubro de 1998. "O grupo João Santos é, e sempre será uma extensão na minha vida, não somente profissional, mas principalmente pela formação de minha vida", diz Maurício Prates para quem quer ouvir.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here