PÉROLAS

“A quarentena sem tédio… não apressar o tempo, cuidar da alma, chorar quando sentir vontade e sorrir quando puder”

Aparecida Francis da Cunha, advogada, sobre o tempo que estamos vivendo.

***

“É incrível ver a alegria e gratidão das pessoas em receber aquilo que a gente já tem. Também damos apoio emocional”

Carlos Montenegro, universitário, após ação solidária.

***

“São novos tempos, novos desafios”

Do humorista Renato Aragão, o Didi, 85 anos, sobre a saída da Rede Globo, que não renovou o contrato de exclusividade.

***

“Taxa de mortalidade está caindo”

Celso Murad, presidente do Conselho Regional de Medicina (CRM-ES), dizendo que o índice de 3,4% no Espírito Santo não é alto. A média mundial é de 5%.

Marcela Arrabal e Thaiz Arrabal, a aniversariante Caroline Bittencourt, Carina Caillaux e Mariana Arrabal, brindando na Praia do Canto (MVianna)

Eles nas redes sociais

“Perdoar não é esquecer o mal que o outro nos fez. É relembrar sem sofrimento”

@pefabiodemelo

***

“Meu perfume favorito é o cheiro do almoço de domingo subindo pela casa”

@luscas

NOSSA DICA

O altar

O momento atual do planeta traz as mais diversas ações para que a onda tensa passe. A fé é um ato pessoal, indivisível. E cresce o desejo por um altar em casa ou no local de trabalho, ligado estritamente aos rituais religiosos em um instante de elevação.

Para quem acredita no sagrado, independente de religião, ter um espaço de oração dentro do próprio lar serve para trazer paz e proteção aos moradores (Flávio Moura Arquitetura/ Imagem Xico Diniz / Divulgação)

Conselheiros

Seguindo a política de investimento na qualificação de governança corporativa da Findes, o IEL passou a oferecer o Curso de Desenvolvimento de Conselheiros. A primeira turma foi formada na primeira quinzena de junho, com a participação de 45 conselheiros da Findes, Sesi e Senai. Em breve, novas turmas serão abertas para membros de conselhos de administração de empresas.

***

Para o presidente da Findes, Léo de Castro, a função de conselheiro requer preparação, para que o debate levantado durante as reuniões gere resultados efetivos para o funcionamento de uma empresa. “O conselheiro precisa entender qual é o seu papel, a sua responsabilidade, bem como a abrangência da sua atuação e como desempenhar sua função. Essa é uma atividade que precisa de uma preparação prévia, pois requer maturidade no trato, um debate com lógica e convencimento da coletividade para que a organização siga o seu caminho”, explicou.

Rúbia Galvão e Karina Mazzini com Nina, sua filha-pet (Cloves Louzada)

Obra bruta

O Sindicato da Indústria de Construção Civil do Espírito Santo estima que 30 mil postos de trabalho serão criados nos próximos cinco anos para execução das obras de saneamento. “Saneamento é o que chamamos de ‘obra bruta’, dessas que geram demanda por mão de obra e empregos diretos e indiretos. Neste momento de dificuldade econômica, é importante esse aporte de recursos para irrigar a economia”, declarou o presidente do Sinduscon, Paulo Baraona.

Solidariedade

Um final feliz para uma história triste. O ambulante e ex-catador de recicláveis Odilon Tavares, que há três anos passou a tirar seu sustento vendendo livros encontrados no lixo em Belo Horizonte, perdeu todo seu acervo. No último fim de semana, ele encontrou apenas cinzas e fuligem de seu sebo de 3 mil itens, que foi incendiado por um desconhecido. A história viralizou na internet, comoveu gente do país inteiro. Em 48 horas, voluntários reuniram cerca de 10 mil livros para o ambulante, que poderá voltar a trabalhar com dignidade.

Sem vuco-vuco

A sala onde fica a Mona Lisa de Da Vinci, sempre lotada, terá novas medidas de segurança na reabertura do Louvre, em Paris, França, amanhã. A partir deste mês, deverá ser feito agendamento prévio através de um sistema de reservas online. A quantidade de pessoas permitidas dentro da sala será controlada com filas que visam manter a distância entre os visitantes. Após uma espera de 10 a 15 minutos, será possível ter um momento cara a cara com a tela. Sem empurrões!

“A Bela e a Fera”

Um conto de fadas que encanta gerações ao longo dos anos, o musical infantil “A Bela e a Fera – Pocket Show” foi a atração escolhida do Diversão em Cena ArcelorMittal Online para este fim de semana. A história de amor será transmitida em uma live especial, hoje, a partir das 16h, no Instagram (@diversaoemcena), Facebook (Facebook.com/DiversaoEmCena) e YouTube (bit.ly/fundacaoarcelormittal). Imperdível!

Manutenção

O Estádio Salvador Venâncio da Costa, sede do Vitória Futebol Clube em Bento Ferreira, está passando por uma manutenção em sua estrutura, enquanto o Campeonato Capixaba segue paralisado por causa da pandemia. Assim que tudo voltar, o Ninho da Águia será palco de disputas da reta final do Capixabão, com o jogo Vitória x Estrela do Norte pelas quartas, e também de jogos do Campeonato Brasileiro Série D, quando o time Alvianil vai disputar o grupo 5 da competição nacional.

Em casa

Pesquisa do OTRS Group revela que 82% dos consultados mantêm a mesma produtivamente tanto em casa quanto no escritório. No Brasil, 54% dos entrevistados afirmam que podem trabalhar de forma mais produtiva em casa. “Muitas empresas já adotavam o home office e, com a pandemia, vimos uma revolução no mercado de trabalho.  Muitas empresas foram surpreendidas com os resultados positivos obtidos por suas equipes, o que fez muitas adotarem o sistema de teletrabalho para alguns setores, permanente”, explica a psicóloga e diretora da Psico Store, Martha Zouain.

Limpeza correta

Antes de escolher o piso, é importante conhecer as características daquele material para fazer a escolha que mais adequada ao ambiente e saber sobre a forma de limpeza ideal para preservar o produto. “Existem diversos tipos de pisos, feitos de materiais variados, então nem todos podem ser limpos da mesma forma. Conhecer as especificações de limpeza daquele piso é importante para garantir a higienização e também a durabilidade do material, que pode ser danificado se não for limpo da forma ideal”, explica a arquiteta Amanda Daleprane.

Artigo anteriorColuna 04 de julho
Próximo artigoColuna 06 de julho
Maurício Prates nasceu em Cachoeiro de Itapemirim e a comunicação em sua vida começou muito cedo. Aos 11 anos, em 1954, produziu o seu primeiro jornal. Um jornalzinho que falava da escola, dos estabelecimentos de ensino professor Alfredo Herkenhoff. Foi até a papelaria Vieira e pesquisou com Geraldino Poubel o preço da publicação e em seguida percorreu o comércio para vender anúncios e cobrir a despesa do seu primeiro jornal. Não ganhou nada. Só mesmo experiência. No mês seguinte a história mudou e além de publicar o segundo número do jornal, ainda sobrou dinheiro para comprar um sapato novo, ir ao cinema e tomar, de uma só vez, três sorvetes na " Polar", a mais tradicional sorveteria da cidade. E não parou mais. E de lá para cá, deu no que deu! Maurício é bacharel em direito, mas nunca exerceu advocacia. É jornalista e radialista com registros no ministério do trabalho. Tudo guardado em sua carteira de trabalho. Uma única carteira, assinada somente por empresas do grupo João Santos. Sua magistral universidade de vida. O primeiro contrato de trabalho foi na fábrica de cimento, como auxiliar administrativo; depois foi para o Jornal Arauto - que circula desde de 1976 sob sua direção -. em 1978 foi contratado pela Nassau Editora Radio e TV e montou A Tribuna fm Cachoeiro. Em 1982 veio para Vitória dirigir a rede A Tribuna onde ficou até 1998, quando fez um acordo com A Tribuna, fechou o seu contrato de trabalho e lançou a sua coluna diária em A Tribuna, no dia 08 de outubro de 1998. "O grupo João Santos é, e sempre será uma extensão na minha vida, não somente profissional, mas principalmente pela formação de minha vida", diz Maurício Prates para quem quer ouvir.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here